quinta-feira, 31 de maio de 2012

PEDRO SIMÕES, UM TÍPICO INTELECTUAL INSATISFEITO - AUTORIA DE OLÍMPIO MACIEL.

PEDRO SIMÕES NETO
PEDRO SIMÕES, UM TÍPICO INTELECTUAL INSATISFEITO

Qui, 31 de Maio de 2012 16:23 Olímpio Maciel

Se é verdade que todo intelectual (ou pelo menos aqueles que merecem portar esse nome) é um eterno insatisfeito, então o escritor Pedro Simões está entre os mais representativos intelectuais de sua geração. Advogado, livreiro, ensaísta, editor, ficcionista, poeta, cronista... São tantos interesses que não admira que ele seja Simões, e não um simples, singular e único Simão, acompanhados de igual número de insatisfações. Nesse caso, porém, quando se consegue, como ele, transformar as insatisfações em ensinamentos e reflexões, vale a pena tê-las às mancheias.

Como ensaísta, Pedro Simões já tem em seu portfólio de ideias livros que tangenciam alguns dos temas mais permanentes da vida brasileira, se traduzindo em títulos como “O Tráfico das Ideias”, “Salário Mínimo e Bem-Estar Social”, “Manual da Microempresa”, entre outros, e que revelam um leque de preocupações sintonizadas com o futuro que preparamos a partir destes tempos complexos e desafiadores que vivemos hoje. Os bons ensaístas – e dispensa dizer que aí incluímos o ceará-mirinense Pedro Simões – são capazes de tomar a distância necessária para ver o quadro simultaneamente panorâmico e pormenorizado dos acontecimentos e a capacidade de resumi-los no espaço de algumas poucas laudas.

Sua contribuição para o campo jurídico não tem sido menos significativa. Bastaria citar seu livro “A intervenção do Estado na Ordem Econômica Privada” (em parceria com Joventina Simões) e que se encontra na oitava edição, enquanto seu “Iniciação aos Contratos “(também em parceria com Joventina Simões) se acha na sexta edição.

Mas é no campo da literatura onde a contribuição de Pedro Simões se revela mais imprescindível, ao descer ao subsolo da cultura nordestina para dali extrair pedras dos mais diversos matizes, mas todas de grande valor. Seus contos reunidos em “O Homem que Assassinava Árvores”, ou seu “Fabulário da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Rio dos Homens”, ou ainda seu “A Intriga do Bem”, conjunto de perfis contemporâneos estão entre suas contribuições mais expressivas.

A propósito, é possível dizer que entre todos esses “Simões” reunidos nesse Pedro da nossa cultura, existe um elo comum: a preocupação com a cultura e com sua preservação, ou seja, o livro. Lembremos que ele teve uma experiência valiosa como editor à frente da sua “Nossa Editora”, tendo, nos anos oitenta, retirado muitos autores do anonimato forçado, dadas as dificuldades de então de se publicar o livro.

Seu feito mais recente, porém, já granjeou um lugar de destaque no cenário das letras potiguares destes dias. Referimos-nos à criação da Academia Ceará-Mirinense de Letras, obra que traz a rubrica e o monograma de Pedro Simões, e que se tornou num dos dínamos da nossa vida cultural. A fonte de inspiração é o mesmo vale que Edgar Barbosa, um seu filho ilustre, descreveu, num dia amargo, como um “burgo melancólico”, mas que hoje faz projetos futuristas, sonhando com um tempo em que a palavra cultura seja reconhecida pelo seu destinatário preferencial, que é o homem do povo.

É essa luta que Pedro Simões vem travando desde outros tempos, luta que permanece acesa graças a pessoas que, como ele, acreditam em tempos melhores. Tempos de cultura.

AS IMPRESSÕES DE NUBILENE FERNANDES DE OLIVEIRA, APÓS A LEITURA DE TRÊS SONETOS MEUS. OBRIGADA!!!

NUBILENE FERNANDES DE OLIVEIRA


Olá amiga, bom dia.
Somente agora pude ver e ouvir a maravilha de emails que você, carinhosamente, me presenteou. Fiquei deslumbrada com o conteúdo das suas poesias e sonetos, os quais me emocionaram profundamente, também pela maravilha do fundo musical.
Você, sem dúvida, é uma pessoa iluminada por Deus, e, foi sem dúvida contemplada com esse dom maravilhoso de escrever os seus mais puros sentimentos em forma de poesias.
Saiba, pois, que todos nós, nascemos com a finalidade de sermos úteis à sociedade, de uma forma ou de outra, todavia, os caminhos da vida, muitas vezes, nos oferecem caminhos tortuosos testando assim a nossa personalidade, caráter e acima de tudo, o compromisso com Deus. Pessoas inteligentes e tementes ao pai procuram seguir sempre em linha reta, numa trilha que só nos conduzirá ao encontro do bem .
Quero lhe parabenizar por sua sensibilidade, pelo seu companheirismo e lealdade. Deus te dê saúde, sabedoria e muita paz, hoje e sempre.
Que assim seja.

Nubilene Fernandes de Oliveira

quarta-feira, 30 de maio de 2012

MEU FILHO FAUSTO - POR EDUARDO ANTONIO GOSSON.

FAUSTO GOSSON DESCANSA NA PAZ DE DEUS.


11.11.1983 - 26.05.2012

Meu filho Fausto
Porque em vida
Foste puro, justo e bom
Deus, na hora extrema,
Resgatou-te das trevas

Sim, meu filho
Quero dormir eternamente
Junto de ti
Porque agora dormes
com Deus.

Eduardo Gosson

“Aquele que é limpo de
mãos e puro de coração,
que não entrega a sua alma à
vaidade, nem jura enganosamente”
Este receberá a benção do Senhor e a
justiça do Deus da sua salvação”
(Sl 24: 4-5)


Missa de Sétimo Dia
Convento Santo Antônio
Hora:18:30h
Data: 01.06.2012 (Sexta-feira)

EDUARDO GOSSON CONVIDA PARA A MISSA DE SÉTIMO DIA DO SEU FILHO FAUSTO.


CONVITE ESPECIAL

“Por onde passares fale/a palavra apascenta”

EDUARDO GOSSON convida Vossa Senhoria e família para a Missa de Sétimo Dia do seu filho FAUSTO GOSSON que, agora, habita entre o azul e o infinito.

Espera contar com a presença de todos porque, no atual momento, é a única forma de aliviar a sua DOR.

Data: 01.06.2012 (sexta-feira)
Hora: 18h30
Local: Convento Santo Antônio, no centro da cidade

sábado, 26 de maio de 2012

AMIGOS, ESCRITORES E ADMIRADORES SE SOLIDARIZAM COM EDUARDO GOSSON.


"QUERO DORMIR ETERNAMENTE”
Fausto Gosson - 21-05-2012

Deus, eu “Quero dormir eternamente!”

Foram estas suas últimas palavras.

E Deus tirou-lhe do seu corpo as travas

Que prendiam sua alma, a sua mente.

E voou leve, livre e docemente,

Deixando para trás o sofrimento

A angústia, a dor, o desalento,

Que, na Terra, o prendeu durante a vida

Terrena. E o BOM PAI lhe deu guarida

Nos Seus Braços de Amor, no Firmamento.

Eduardo Gosson
***********************************************
NOTA: O VELÓRIO ACONTECE, DESDE ÀS 20 HORAS, NO CENTRO DE VELÓRIO DA RUA SÃO JOSÉ, EM LAGOA SECA.
A MISSA DE CORPO PRESENTE SERÁ REALIZADA ÀS 9 HORAS E O SEPULTAMENTO, NO CEMITÉRIO DO ALECRIM, ÀS 10 HORAS.
*******************************************************************************
É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento de Fausto Gosson, filho do nosso amigo Eduardo Gosson, ao qual nos solidarizamos e com todos os parentes, amigos e confrades e, também, nossa querida Lúcia Helena Pereira e Geralda Efigênia, sensibilizadas, prestando relevante apoio, no sentido de informar e se juntarem à dor dos familiares.

Belo Horizonte, 26 de maio de 2012.

Antônio Carlos Dayrell

**************************************************************

Eduardo amigo,

Já gostei da muamba, sou viciado em cigarro Derdy (cuja dependência é igual a da cocaína). Sou Assistente Social e Mestre e conheço por curso todas as drogas e seus efeitos. Também tomo clonazepam (o famoso Rivotril) pra dormir. Meus amigos médicos já me disseram que é uma dependência. Desde que minha avó morreu, e piorou agora, eu sem mãe há 10 anos, papai morreu. Aí, nem dormi, nem deixo o Clonazepam.
Sinto-me quase um drogado, já que são drogas. Passadas por médicos, legais, o cigarro é socialmente normal, mas, SÃO DROGAS.

Falta ao dependente de cocaína:
1) a vontade própria, individual de querer deixar. 2) a figura do pai. Forte. Mandão. Que não deixa de ser prova de amor. 3) imprescindível, a clínica UM TRABALHO, eles todos são preguiçosos, e uma psicoterapia, ou seja, um psicólogo, que sem ser pai nem mãe, a quem eles possam contar TUTO, sem medos, pra conversar, MUITO até se tocarem que devem : TRABALHAR, levar a vida PRA FRENTE, NÃO QUERER MORRER, pois a vida é linda, e quererem deixar o vício. Trocando o desejo do pó pelo trabalho, por esquecer isso (que DÓI e DEMORA), e pelo desejo de viver e de não envergonhar a família (coisa que vem em último lugar mas, no fundo, mesmo que eles não admitam, é a coisa mais importante: a aceitação e o amor da SOCIEDADE).

Por favor, seja um pai amoroso, sem cobranças, duro sem perder sua ternura (da qual você é cheio, eu sei, eu lhe conheço já há uns 4 anos ou mais, e você é um poeta, um romântico), mas demonstrando que quer que seus filhos vivam. Vivam com honra, honestidade e infelizmente ou não, com trabalho, que é o que faz esquecer as tristezas e ocupar o tempo do ócio (que é o tchan dos viciados: controlar o tempo de não fazer nada, relaxar, mas não necessariamente, se drogar, FUGIR do tempo livre que Deus nos dá, que o trabalho nos dá, e que deve ser curtido: dormindo, lendo, escrevendo , pintando, curtindo os filhos, etc., mas, não, se drogando). NÃO PRECISA F U G I R DO TEMPO LIVRE!!!!

FINDO LHE CONGRATULANDO, NÃO PELA PRIMEIRA VEZ, POR VOCÊ TER A CORAGEM DE CONTAR ISSO PRA TODO MUNDO. CONTE. DESABAFE. O MUNDO É RUIM. TODO. VOCÊ, NÃO NECESSARIAMENTE É UM MAU PAI PORQUE SEU FILHO CONHECEU A M I G O S QUE LHE ENSINARAM O CAMINHO DO PÓ.

EU LHE AMO, ADORO SUA SINCERIDADE, SEI QUE DEVE SER RUIM PARA UM PAI OU MÃE, E CONTAR AOS OUTROS, PIOR AINDA, MAS DEVEMOS DESABAFAR, QUANTO MAIS A GENTE FALA, MENOR O PROBLEMA FICA, E ÓTIMO: MAIS AMIGOS E FAMILIARES FICAM SABENDO, E MAIS PESSOAS SE COMPADECEM E PODEM AJUDAR.

AUTORIZO, INCLUSIVE QUE VOCÊ PASSE ESSA MINHA CARTA DE APOIO AOS SEUS FILHOS, A TODOS OS NOSSOS AMIGOS DA INTERNET. UM ABRAÇO AMIGO, FRATERNO, SAÚDE PARA TODOS, SÓ DEUS PODE FAZER OS MILAGRES QUE VOCÊ E SUA FAMÍLIA PRECISAM, NÓS, AMIGOS, SÓ PODEMOS LHE DAR FORÇA MORAL E LHE ELOGIAR, PELA SUA CORAGEM, PE LO SEU AMOR PELA VIDA E POR SEUS FILHOS. ABRAÇOS FRATERNOS DO AMIGO QUE ADMIRA E LHE ADORA, ANDRÉ VALÉRIO SALES (ESCRITOR, MESTRE EM ASSISTÊNCIA SOCIAL E VICIADO EM CIGARROS E RIVOTRIL).

André Valério Sales
Arês/RN

*********************************************************************

Caro amigo, lamento muito. Receba o meu abraço e sentimentos profundos de pesar. Irei ao velório. Difícil dizer alguma coisa numa hora dessas.

Abraço forte,

Cláudia Santa Rosa

******************************************************************

Amigo,

Estava aqui, mesmo de longe, acompanhando a luta pelo restabelecimento de Fausto. Lamento o desfecho e mais uma vez, registro minha admiração por você, por sua sinceridade e coragem.

Receba meu abraço com o calor do sol mossoroense,
extensivo a toda sua família


Cid

*************************************************************

Eduardo

Há muitos dias não acesso meu e-mail e apenas hoje retorno. Soube da notícia apenas agora e já li no site da UBE que trata-se de uma morte cerebral. Meu amigo, só posso desejar-te muita força e muito conforto agora, o que vou pedir a Deus para fazer por você e por toda sua família. Que nosso pai possa dar ainda a sobriedade necessária para encarar este momento tão difícil com muita sabedoria.
Sou doadora de sangue e meu tipo sanguíneo é o A+. Acaso Fausto ainda esteja necessitando de doação, por favor solicite-me na resposta deste e-mail.Fique com Deus e muita, muita força...


Denise
(25.05.2012)

*********************************************************************

Sinta meu abraço. O seu texto é um poema-oração. Fruto de um sentimento extremamente humano, nos põe numa dimensão muito próxima de Deus. É estreitíssimo o caminho de se chegar até Ele. Mas Fausto, ao seu modo, já o percorreu.

Serei sempre sua amiga.

Águida Mousinho Zerôncio, 26.05.12

*************************************************************

Amigo Eduardo,


osso abraço solidário e o desejo que Deus lhe dê a força necessária.

Abraços,

Ivan Júnior e Yasmine Lemos

******************************************************************************

Eduardo:

Meus sentimentos pela perda de seu filho. Há catorze dias perdi meu pai, e ainda estou sentindo fortemente o processo de separação. Mas perder um filho creio ser bem diferente, pela ordem natural da vida, que já conhecemos, os mais velhos partirem primeiro. O consolo é a oração, absolutamente necessária para o acolhimento na outra vida, para que os espíritos do bem escutem e atendam aos que amam, em uma corrente de energia em favor do bem. Acredito nisso, pois embora não praticante é a doutrina espírita que faz sentido no meu modo de perceber a vida. Espero que também creia na imortalidade da alma e ore por seu filho, acreditando que o amor de pai para filho continuará sendo lenitivo, sempre. Mais uma vez, meus pêsames. Anchella

*******************************************************************************

EDUARDO, TENHO ACOMPANHADO O SEU DRAMA POR INTERMÉDIO DOS E-MAILS E NESTA HORA DOLOROSA DESEJO-LHE FORÇA E FÉ EM DEUS E NA CIÊNCIA.
SEI QUE O QUADRO DO SEU FILHO É GRAVE, MAS VOCÊ NÃO PODE PERDER AS ESPERANÇAS. TEM QUE ACREDITAR NA CIÊNCIA ATÉ ENQUANTO FOR POSSÍVEL.
CERTAMENTE O SEU FILHO ESTÁ ENTREGUE A EXCELENTES PROFISSIONAIS MÉDICOS QUE FARÃO O POSSÍVEL PARA POUPAR A VIDA DELE.
AMIGO, TENHA UM DIA TRANQUILO E REPLETO DE BENÇÃOS.
PRECISANDO, PODE CONTAR COMIGO.
FORTE ABRAÇO.

PAULO JORGE DUMARESK

******************************************************************

Estou solidária, Eduardo. Só não posso doar sangue, pois estou com muita gripe.Tenho fator RH A Negativo
Abraço fraterno, Nivaldete Ferreira

***********************************************************************

Amigo Eduardo, acompanhei com muita solidariedade o seu calvário. Que Deus, na sua infinita sabedoria acolha seu querido filho e sua glória e dê a você o consolo que tanto merece. Infelizmente, por motivo de saúde, não poderei comparecer pessoalmente ao funeral.
Um abraço sincero pela lamentável perda.

Sílvio Saldas

***********************************************************************

Eduardo meu amigo:

Não sei quando você lerá este email, mas quero que saiba que ele é veículo da minha tristeza e da minha solidariedade pela perda que você sofreu. Que Deus dê a seu filho a paz que ele não pôde encontrar em vida. E que você possa se recuperar para tocar a vida e a UBE-RN.
Forte abraço,

Tarcisio Gurgel
*******************************************************************

Prezado amigo Eduardo Gosson:
Imagino a tua dor de pai. Que Deus conforte o teu coração. Que teu filho encontre o repouso eterno que não conseguiu aqui na Terra. Que sua alma descanse em Paz. Força, amigo. Estamos solidários na tua dor.
Um abraço sentido, José de Castro.

************************************************************************

"Que Deus, na sua infinita bondade e graça, receba na sua morada a alma de Fausto Gosson. Ao amigo escritor Eduardo Gosson venho irmanado na sua dor de pai, prestar a minha solidariedade e força para vencer esses momentos de dor. Meus sinceros pêsames com todos os meus sentimentos voltados para Deus, para que acolha seu filho na divina morada celestial."

Ivam Pinheiro

NOTA DE FALECIMENTO JÁ CONSTATADA COM LAUDO MÉDICO, DE FAUSTO GOSSON, ÁS 9 HORAS DESTE 26-05-2012.


NOTA DE FALECIMENTO DE FAUSTO GOSSON
(1983-2012 )


Com profunda tristeza, comunico o falecimento do meu filho - FAUSTO GOSSON - ocorrido hoje, 26-05-2012, na UTI do hospital PAPI, onde estava internado desde segunda-feira, dia 21 de maio, vítima de uma overdose.
O velório será no Centro de Velório da Rua São José, próximo ao Corpo de Bombeiros, em Lagoa Seca.
O sepultamento transcorrerá amanhã, dia 27, às 10h, no Cemitério do Alecrim.
O corpo do meu filho será liberado por volta das 13/14 horas desta tarde de sábado.
Agradeço a quantos comparecerem a este ato de fé e caridade cristã e peço desculpas pelos atropelos das notas anteriores, alheias à minha vontade, porém movidas pelo estresse e sofrimento.

Abaixo transcrevo as últimas palavras do meu filho.

Natal/RN, 25 de maio de 2012

EDUARDO GOSSON


PALAVRAS DO MEU FILHO FAUSTO:

“QUERO DORMIR ETERNAMENTE” (*)

Para meu filho Fausto, morto pelas drogas
“Aquele que é limpo de mãos e puro de coração,
Que não entrega a sua alma à vaidade, nem
Jura enganosamente”.
Este receberá a benção do Senhor e a justiça
Do Deus da sua salvação” (Sl 24: 4-5)

Meu filho Fausto
Porque em vida
Foste puro, justo e bom
Deus, na hora extrema,
Resgatou-te das trevas
Sim, meu filho
Quero dormir eternamente
Junto de ti
Porque agora dormes
com Deus.

(*) Estas foram as últimas palavras pronunciadas por meu filho Fausto, antes de ir para a UTI, segunda-feira, 21.05.2012.

Eduardo Gosson

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O HOMEM DAS DUAS BANDEIRAS - EDVALDO MORAIS.

EDVALDO MORAIS
UM HOMEM DIVIDIDO ENTRE DUAS BANDEIRAS
EDVALDO MORAIS
UM DIA ELE FOI TRANSFERIDO PARA CEARÁ-MIRIM, ATRAVÉS DO BANCO (NÃO RECORDO QUAL) E FICOU. FICOU COM A ALMA, O CORPO E O CORAÇÃO, NA
A CIDADEZINHA DOS VERDES CANAVIAIS. O VALE VERDE QUE CONQUISTOU O SEU AMOR E ONDE VIVE COM A ESPOSA QUERIDA - POETISA E PROFESSORA FRANCISCA LOPES - E OS FILHOS - (EDVALDO É AVÔ DE UMA NETA INDA)!

QUEM É EDVALDO MORAIS? UM HOMEM MÚLTIPLO QUE DEU MUITO DE SI À PREFEITURA MUNICIPAL DE CEARÁ-MIRIM, ATRAVÉS DA FUNDAÇÃO NILO PEREIRA, DA QUAL, TEVE O CARGO EXONERADO, LAMENTAVELMENTE.

AFINAL, ELE EXERCE MUITAS FUNÇÕES ALÉM DA BUROCRACIA, É UM BLOGUEIRO DE BOA QUALIDADE, UM RADIALISTA DE PRIMEIRA E, FINALMENTE, EXPERT EM COMPUTAÇÃO, E A CÂMARA MUNICIPAL DE CEARÁ-MIRIM ENXERGOU SUAS GRANDES QUALIDADES E ADOTOU-O. PARABENIZO ESSA INICIATIVA DESSE HOMEM NOTÁVEL QUE É RONALDO VENÂNCIO, O PRESIDENTE DA CÂMARA.

MAS HOJE, EU TROUXE EDVALDO MORAIS PARA ESTE ESPAÇO, PARA APLAUDIR AS SUAS GENTILEZAS, A SUA BONDADE E GRANDE GENEROSIDADE.
CERTA VEZ, DIANTE DE VÁRIAS DE SUAS ATITUDES, PERGUNTEI-LHE: O QUE É A BONDADE???

MAS, RECATADO E TÍMIDO COMO SEMPRE FOI, LIMITOU-SE A SILENCIAR.

EDVALDO MORAIS, MOSSOROENSE-CEARAMIRINENSE, ACIMA DE TUDO, É UM GRANDE GENTLEMAN!

TODO MEU AMOR, QUERIDO!

*************************************************************************
NOTA:

Para escutar o programa semanal de rádio "JOVEM GUARDA" pela net é só acessar:
www.87fmvaleverde.com - ligar as caixinhas de som do computador e aguardar 30 segundos:
Todo domingo às 8 da manhã (após transmissão da missa)

domingo, 20 de maio de 2012

"A VERDADEIRA DIGNIDADE É O RESPEITO DE SI MESMO, E AQUELE QUE A TEM, NADA PODE FAZER QUE O TORNE DESPREZÍVEL A SEUS PRÓPRIOS OLHOS". CONCEPCIÓN ARENA

FRANKLIN JORGE ROQUE
A INTERNET QUE DEVE E PRECISA SER UM INSTRUMENTO DE INFORMAÇÃO E MENSAGENS QUE DIGNIFIQUEM, MUITAS VEZES, POR MÃOS DESONESTAS PROVOCAM UM VERDADEIRO REDEMOINHO NA VIDA DOS OUTROS. ESTE É O CASO DO MEU AMIGO E CONTERRÂNEO, FRANKLIN JORGE ROQUE, QUE TEVE SEU E-MAIL CLONADO E USADO PELOS QUATRO CANTOS DO MUNDO, DE MANEIRA ILÍCITA, DESONESTA E DESCARACTERIZADA COMPLETAMENTE DA LINGUAGEM DESSE BRILHANTE ESCRITOR.

UM ABRAÇO, FRANKLIN, JÁ ME FIZERAM ISSO, TENHO CERTEZA QUE DEVE SER ALGUÉM SEM BRILHO E POBRE DE ESPÍRITO.
AGORA, PODEM CLONAR O MEU E-MAIL, FIZ QUATRO E SALVEI OS MEUS CONTATOS.

UM ABRAÇO, FRANKLIN, CONTE COM MINHA AMIZADE.

LÚCIA HELENA

quarta-feira, 16 de maio de 2012

AS MINHAS FLORES, ÀS QUAIS DEDIQUEI UNS POEMAS - LÚCIA HELENA PEREIRA


TRAGO UMA FLOR DENTRO DE MIM
Lúcia Helena Pereira

CHEIA DE CHEIROS E RICO ESPÉCIME,
COM PÉTALAS DOURADAS,
ÀS VEZES AVELUDADAS.

TRAGO UMA FLOR DENTRO DE MIM
COMO SE FOSSE UM PEQUENINO JARDIM
ENFEITANDO O MEU ALTAR INTERIOR.

TÃO PERFUMADA E TERNA,
COM MIL NUANÇAS
AO BALOIÇO DO VENTO...

TRAGO UMA FLOR DENTRO DE MIM,
QUE CHORA AO SENTIR SEDE,
E SE ACALMA QUANDO A NOITE CHEGA...

ESSA FLOR ÀS VEZES FICA ESQUECIDA,
NUM CANTO QUALQUER DE UM JARDIM TROPICAL...
E SE DESTACA, PELA BELEZA E COR!

TRAGO ESSA FLOR COMIGO HÁ MUITOS ANOS,
IMORTAL, VIVA E RESPLENDENTE -
A FLOR DA AMIZADE E SOLIDARIEDADE.
______________________________________________________
NOTA: NEM SEMPRE SABEMOS COLHER, ESCOLHER, VARRER SOMBRAS, APAGAR PESADELOS. MAS AS FLORES EXISTIRÃO SEMPRE, COMO SÍMBOLOS MAIORES DOS CAMINHOS. OS SÍMBOLOS QUE PEDEM VIDA!

******************************************************************************************

ATÉ ONDE ME LEVEM AS FLORES
Lúcia Helena Pereira


Sigo os passos daquela floreira do quintal de minha casa,
Onde pétalas se abriam ao amanhecer, espargindo aromas mil,
Lá, eu via flores azuis, amarelas - crisântemos dourados,
Voando ao léu em pétalas partidas, esvoaçadas.

Até onde me levem as flores, quero alcançar o vôo da águia cinza,
Num horizonte cheio de gaivotas perdidas,
Criando azuis num infinito de solidão,
Aportando numa praia qualquer,
Desesperadamente doentes.

Preciso curar as aves, remendar as pétalas das flores
Que se esgarçam ao vento e se debatem,
Como asas de pássaros infelizes,
Sem árvores, rios, sem espaço!

Até onde me levem as flores quero conhecer montanhas
Escalar nuvens e grandes cumes,
Conhecer e amar as planícies esquecidas
E não enxergar mais nada, só o azul celeste
Banhando-me em nuvens cristalinas e perfumadas.

Quero o vento do norte apontando caminhos,
Quero o cheiro da madrugada despindo meus desejos,
Quero a linguagem silenciosa das mariposas - acasalando,
Proliferando a espécie.

Até onde me levem as flores quero um punhado de luz,
Incandescente, avermelhada, espalhando fagulhas
Sobre minhas feridas e curando os meus ais!

**********************************************************************************

A ALMA DAS FLORES
Lúcia Helena Pereira


Sobrevoa a pétala da flor rosada
Desprendida e tão grávida de orvalho
Banhando-se no morno sol do amanhecer.

Em sua pele, transparente e inconsútil
Vê-se o bordado da pureza e da alegria
Enternecendo o coração da gente.

Película branca, rosa ou levemente lilás
Cobrindo sua nudez despetalada
Que o vento arrasta, para onde quer.

A alma das flores chora
Um pranto delicioso, nota magoada,
Que sobrou, de um cortejo florido.

As flores dançam, desmaiam, suam…
E a alma delas exala sutil halo,
Incandescente, cristalizando-se na pele.

Oh! Deus, quisera perpetuar as flores,
Demorar sua beleza e aromas,
Mas sua alma as leva tão brevemente…

A alma das flores traz um toque de brilho,
Luz que se derrama dos hibiscos
E se materializa na forma e cor, tão delicadas!

Oh! Alma das flores, demorai seu egoísmo,
Deixai que essas pétalas macias perdurem
E encham nossos olhos de inocência.

Não permitais, alma indolente, radical,
Que as flores se machuquem, elas sentem dor,
Choram e agonizam ao soprar dos ventos.

Quero a alma das flores sobrevoando
Em jardins negros, com lagos borbulhantes
As flores são doces, lindas e gentis.

A alma das flores enfeita nossas festas,
São meninas rosadas e amarelas, gritando suas dores,
Esticando suas pétalas, gritando gemidos…Help!

**************************************************************************************

PRECISO DAS FLORES
Lúcia Helena Pereira


PRECISO DAS FLORES AMANHECIDAS DO ORVALHO

ALGUMAS, ATÉ ENCOLHIDAS, MAS PERFUMADAS,
OUTRAS, TÃO CHEIAS DE COR E BELEZA!

PRECISO DAS FLORES ANOITECIDAS DA TARDE
ALGUMAS, ATÉ MIRRADAS, ABSORVIDAS PELAS CHUVAS,
OUTRAS, TÃO IMPETUOSAS, DONAS DOS CAMINHOS.

PRECISO DAS FLORES CORRENDO NA PELA DOS RIOS,
ALGUMAS, BEM AZUIS E BORDADAS DE HÚMUS,
OUTRAS, EXUBERANTES E AROMÁTICAS.

PRECISO DAS FLORES DESLIZANDO DAS CASCATAS,
ALGUMAS, COMO PEDRAS CAINDO E SE ESMIGALHANDO,
OUTRAS, SUBMERGINDO MILAGROSAMENTE.

PRECISO DAS FLORES…DE TODAS AS CORES E FORMAS,
MUITAS, EM PROFUSÃO E COREOGRAFIA MIMOSA,
OUTRAS, ENFEITADAS NUM VARAL DE ESTRELA AZUIS!!!

terça-feira, 15 de maio de 2012

POEMAS DE LÚCIA HELENA PARA O BLOG CRIADO PARA OS ESCRITORES CEARAMIRINENSES, ESCRITORES DA ACLA E OUTROS.


AROMAS DA GRATIDÃO
Lúcia Helena Pereira


A minha gratidão tem um cheiro bem místico,
Cheirinho de pitanga, hortelã, cravo e canela,
Tem cheiro de amor, coração aberto, pleno, puro!

Os aromas da minha gratidão são muitos:
Mistura de rosas campestres, bambus, cactus
E flores de maracujá.

Sinto os aromas da gratidão,
E sua forma também:
Ora parece uma lua,
Ora tem formato de estrela,
Mas na verdade ela é, um lindo mar de opalina!

Os aromas da gratidão vêm de Nosso Senhor,
Cheiro de coração bum e misericordioso
Cheiro daquele olhar puro e tão leve,
Um cheirinho de mão que salva!

Mas a gratidão verdadeira tem cheiro de luz,
Luz que vem dos jasmins!

Os aromas da gratidão possuem nomes bem diversos:
Caridade, humanidade, solidariedade e amor!
Palavras e gestos que se eternizam,
Na hora de se salvar um irmão,
Esses sim, na verdade, são aromas verdadeiros,
No presente, no passado e no futuro!


ERA TUDO QUE EU QUERIA
Lúcia Helena Pereira

Era tudo que eu queria: uma flor singela,
De qualquer cor, com perfume almiscarado,
Pétalas macias, balançando-se ao vento.

Queria o teu silêncio de prontidão,
Anunciando auroras e crepúsculos
Com trombetas sincronizando teu pensamento,
E que eu pudesse ouvi-lo, como canção.

Era tudo o que eu queria: um leve olhar,
Mão de carícia em minha leve ânsia
Suspiro de amor - chama de poesia!

Queria a tua essência em mim, comovida,
Descansando a dor, o sofrimento,
E repousando em leve sono e carinhoso aconchego
Adormecendo em meu seio rosado.

Era tudo que eu queria: teu lábio doce
Molhado do azul rasgando a nuvem
Enquanto eu pudesse beijá-lo, suavemente!

Queria o sortilégio de ser teu pensamento num minuto.
Ilusões esfregando-se em delirantes sensações
E um halo aromatizando jasmins
Num canto bom do seu jardim encantado.

Era tudo que eu queria: de sua presença-ausente,
Em minha direção, num abraço simples,
E um cochicho morno aventurando-se em meu ouvido.

Queria esse seu olhar demorado em minhas entranhas,
Descobrindo caminhos escondidos, festivos
Abrindo-se como a flor... abrindo-se
E sua natureza me penetrando, com profundidade.

Era tudo que eu queria, naquela noite,
Onde a timidez e o recato se sobressaíram
E o tempo - zombeteiro - festejou a recusa dolorida!

Queria sua mão sensual, umedecida em minha lágrima,
Vazando do meu olhar pequenino - lago de desejos,
Num som de águas inquietas...frenéticas, deslizantes,
Jorrando de minhas esperas e orgasmos brancos.

Era tudo que eu mais queria!

*************************************************************************

Ivam Pinheiro escreveu:


COM POESIAS, PARA COMEÇAR BEM O DIA.
Ivam Pinheiro

Começo o dia lendo bela poesia de Lúcia Helena Pereira. E era tudo que eu queria, a magia do sentir no perfume das flores, a palavra de encanto cantando amores, mesmo repleto de saudades que o orvalho morno do tempo só faz ressaltar. E lidar com o sentimento maior, expressando a luz do suspiro do amor e o halo do desejo que aromatiza jasmins, é para mim e poetas que sentem a inspiração, a clara exaltação de que aqui se faz, também a bela escrita poética, com alma e delicada beleza. Sou fã incondicional e apaixonado, antes mesmo de ser amigo, da poesia livre e marcante de Lucia Helena Pereira. Tanto pelas palavras repletas de afeto, de sentir, e de se completar com simplicidade, o recado humanista e sentimental a que essa poetisa manda para nós nos seus poéticos escritos, bem como também pela grande figura humana, às vezes ranzinza, noutras delicada e carinhosa, mas, acima de tudo, participativa das atividades culturais e do convívio social e incentivadora da cultura e letras, além de estar sempre incentivando e apoiando os amigos e novos artistas, escritores e poetas.
Ao receber, logo no clarear da manhã ensolarada e bela, o encantamento da mensagem postada, aqui nessa rede social, através de "link" que nos leva instantaneamente a leitura no "Blog da ACLA", descortinei dois belíssimos poemas de autoria da "Poetisa das Flores", o primeiro retrata "AROMA DA GRATIDÃO", e o segundo, em menos de segundos eu decidi, "ERA TUDO QUE EU QUERIA" para me sentir vivo e feliz, e com alegria e qualidade inegável começar bem o dia.

Natal, RN, Brasil, 15/05/2012.
8 h: 30 min - 9 h: 03 min

segunda-feira, 14 de maio de 2012

MEU PAI - ALFREDO MESQUITA FILHO - ARTIGO PUBLICADO NA TRIBUNA DO NORTE, 12-05-2012 - NA COLUNA: REFLETORES DA FAMA POR VALÉRIO ANDRADE.

ALFREDO MESQUITA FILHO

MEU PAI - ALFREDO MESQUITA FILHO
Valério Mesquita

Alfredo Mesquita Filho nasceu em Macaíba, a 23 de maio de 1901. Filho de Alfredo Adolfo Mesquita e Ana Olindina de Mesquita, fez os seus estudos preparatórios em Macaíba, Natal e Recife, quando cursava medicina, teve que retornar à Macaíba por motivo do falecimento do seu pai, ocorrido em 1929. Passou a se dedicar junto com os irmãos as tividades de comércio, agricultura e criação. Na sua infância, o desejo da família era vê-lo padre. Resistiu. Não foi para o seminário.

Em 1946, foi constituinte elegendo-se deputado estadual pela legenda PSD. Reelegeu-se em 1950 e 1954, exercendo nesses períodos diversos cargos e comissões. Já em 1958, candidatou-se novamente a prefeito vencendo as eleições, tendo sido este o seu último mandato eletivo, até, 1963. Como deputado estadual a ele se credita o esforço da vinda de inúmeras obras para os municípios que representava na Assembleia, tais como: Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Bom Jesus, Serra Caiada (Presidente Juscelino), Caiada (Eloy de Souza), São Pedro, Ielmo Marinho entre outros. Não obstante seus quarenta anos de vida pública, trinta dos quais militou na oposição. Mesmo assim, conseguiu com os governos escolas e estradas, além de junto com todos os amigos da época haver experimentado o triunfo da implantação da Escola de Jundiaí e a construção da ponte da cidade de Macaíba.

Sobre essa obra há um episódio. A antiga ponte havia desabado. Como deputado pessedista cobrou do governo do estado (Dr. José Varela) a sua construção. Como o erário estadual não podia arcar com as despesas, teve que recorrer ao antigo Ministério de Obras e Viação, do governo federal. Entretanto, ao aguardar a resposta da bancada federal do seu partido, recebeu espontaneamente a ajuda do então deputado federal, Aluízio Alves, udenista que se prontificava a conseguir os recursos. Tal fato, no Rio Grande do Norte calcinado pelas brigas do PSD x UDN, em 1950, receber o auxílio de um udenista era um opróbrio.

Houve cenas de tumultos, pressão e rompimentos políticos. Mas, como Macaíba para Alfredo Mesquita era mais importante que os partidos, aceitou a ajuda, o dinheiro chegou e a ponte foi construída e até hoje está lá.

Em 1961, após a campanha de Djalma Marinho a quem ajudou por haver o PSD se fracionado para apoiar dois udenistas, vendeu a sua propriedade Uberaba, em Macaíba, por "treze mil contos" ao fazendeiro Adauto Rocha, a fim de poder pagar os compromissos da campanha.

As eleições de 1962, 1965, 1966 e 1968 quando, já doente, enfrentou sua última campanha política, testemunham a fidelidade do seu espírito partidário e sua dedicação exclusiva ao seu povo.

Na multiplicidade das atividades de homem público e agro-pecuarista desenvolvidas por Alfredo Mesquita Filho ao longo de sua vida, desponta a de maçom da Loja Filhos da Fé em Natal. O seu ingresso na Loja foi proposto em 06 de agosto de 1926 e aceito em 12 de setembro do mesmo ano, com idade, portanto, de 26 anos. Iniciado no mesmo mês tornou-se aprendiz em outubro, companheiro em janeiro de 1927 e mestre em fevereiro. Em 04 de maio de 1927 evoluiu para o grau 18, chegando a grau 30 (Cavalheiro de Cadoche) em 21 de março de 1939.

Nos anos vinte e trinta conviveram com Alfredo Mesquita na loja 21 de Março os seguintes macaibense ilustres: Luiz Curcio Marinho, comerciante e posteriormente prefeito de Macaíba; Torquato Justino de Souza, comerciante; Olimpio Jorge Maciel, empresário e comerciante, figura respeitável e querida da cidade; Almir Freire, ex-prefeito de Macaíba e filho do líder político Manoel Mauricio Freire; José Jorge Maciel, filho de Olimpio, médico e ex-prefeito de Macaíba nos anos cinquenta. Posteriormente, outros destacados macaibenses passaram igualmente pela Loja 21 de Março; José Pinto Freire, Asteclides Xavier Marinho, João Leiros Filho, Jose Lira da Silva, Cornélio Leite Filho, João Santiago de Oliveira, Pedro Cavalcante Sobrinho e Salustiano Cacho Neto.

Como líder político, maçom e católico comandou e conduziu inúmeras campanhas de ajuda humanitária em favor das pessoas desassistidas.

Esse era o traço principal de sua personalidade: a caridade. E ele, ao lado de outros companheiros, socorreram muitos lares pobres colocando, anonimamente, envelopes por baixo das portas, quando sabiam que uma família passava privações. Gesto raro. Difícil hoje em dia. O lado cristão que não podia ficar oculto, revelava-se sempre em todas as atividades que liderava.

No dia 12 de abril de 1969, pobre mas querido pelos humildes, morreu Alfredo Mesquita. Nesse dia sua cidade parou. Não para lhe dizer adeus, mas, para lhe garantir que ele e ela formariam naquele dia, mais do que qualquer tempo, um binômio inseparável: um pacto de identificação. Ele e ela. Abraçados, agora, para sempre.